Links às páginas Web anteriores do KKE

As páginas internacionais do KKE mudam gradualmente para um novo formato. Pode encontrar as
versões anteriores das páginas que já estão actualizados (com todo o seu conteúdo) nos links abaixo:

COMUNICADO DE LA OFICINA DE PRENSA

SOBRE EL ATAQUE IMPERIALISTA CONTRA SIRIA

LEVANTEM-SE!

Os imperialistas estão a sangrar os povos

Nenhuma participación da Grécia neste crime – Encerramento das bases – Saída da Grécia da NATO e da UE

«Com o ataque de hoje contra a Síria, os EUA, a Grã-Bretanha e a França, com o apoio e a tolerância dos restantes estados da NATO e da UE, estão novamente a sangrar os povos da região, estão a destruir e desmembrar estados recorrendo a provas e pretextos falsificados. O seu verdadeiro objetivo é o controlo dos recursos naturais, das rotas de transporte de energia, das esferas de influência. Este coloca-os em confronto com outros estados capitalistas e potências regionais que não são do seu agrado porque serve interesses antagónicos.

 

A agudização dos antagonismos, em combinação com a enorme concentração de forças militares rivais na região, levanta o perigo de uma guerra imperialista generalizada, com consequências desconhecidas para os povos da região e para todo o mundo. Crescerão ainda mais as vagas de refugiados e de pessoas deslocadas para que os agressores – os governos e as organizações imperialistas – vertam lágrimas de crocodilo.

 

Reafirma-se uma vez mais que a guerra imperialista é uma saída quando o apodrecido sistema da exploração e dos lucros já não pode resolver de outra maneira – através de «guerras» comerciais e medidas antipopulares – os seus grandes impasses. É a continuação da política que condena os povos à pobreza e à miséria.

 

O governo SYRIZA-ANEL tem grandes responsabilidades porque implicou ainda mais profundamente o país neste massacre, por conta do capital grego, que procura participar na distribuição do saque e nas quotas de mercado. Continua a política dos anteriores governos da ND e do PASOK. Assume o papel de porta-bandeira da NATO na região. Converteu o país em testa-de-ponte da NATO, reforçou e expandiu as bases dos EUA e da NATO na Grécia. Coopera a nível militar com Estados-assassinos como Israel. Sistematicamente, trata de embelezar o imperialismo estadunidense e europeu.

 

A afirmação de que assim se protegem os direitos soberanos do país é uma enorme mentira, tendo em conta a instável situação das relações entre a Turquia e a NATO. Além disso, a intensificação da agressividade e as provocações turcas são parte da dos acontecimentos normais da região. A Turquia está a regatear as suas relações, tanto com a NATO como com a Rússia, forma a que recorre para servir os interesses da sua própria classe burguesa.

 

A NATO e a UE são fatores de insegurança, de desestabilização e alteração de fronteiras. A NATO não reconhece as fronteiras no Mar Egeu. Não lhes interessam os povos nem os direitos soberanos. Apenas lhes importa os seus próprios interesses. Isto já ficou muitas vezes demonstrado na História. A política governamental do chamado «fortalecimento geoestratégico» apenas aumenta os perigos para o povo grego e as possibilidades de o implicar numa guerra imperialista generalizada.

 

É agora o momento de nos levantarmos! O nosso povo pagou e continua a pagar um elevado preço para a recuperação dos lucros do capital. Não deve pagar a rentabilidade capitalista sofrendo novas vicissitudes e enormes perigos, porque é isto o que se procura com as intervenções e as guerras.

 

É agora o momento de fortalecer a luta contra a guerra imperialista, para encerrar a base militar de Suda e todas as bases militares estrangeiras na Grécia, para fazer regressarem os soldados gregos em missões no estrangeiro, de o nosso país se retirar da NATO e da UE.

 

Não há que dividir os povos. Com a solidariedade e a sua luta comum deve levantar-se um muro contra os planos imperialistas, dirigir o ponto-de-mira ao apodrecido sistema que gera a pobreza, as crises, as guerras».

 

Sábado, 14 de abril pelas 18:30 horas, a Organização Partidária do KKE na região da Ática organiza na Praça Sintagma uma concentração onde o Secretário-geral do CC, Dimitris Koutsoumpas, proferirá um discurso. Em seguida realizar-se-á uma manifestação que se dirigirá para a Embaixada dos EUA.