Links às páginas Web anteriores do KKE

As páginas internacionais do KKE mudam gradualmente para um novo formato. Pode encontrar as
versões anteriores das páginas que já estão actualizados (com todo o seu conteúdo) nos links abaixo:

Contra a transformação da Grécia num centro de operações da NATO

Os 15 membros do Grupo Parlamentar do KKE colocaram uma pergunta aos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa sobre o desenredar o país de intervenções e guerras imperialistas. 

Pergunta 
Aos ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros 
Tema: Desenredar o país de intervenções e guerras imperialistas. 

As decisões dos governos da ND e do PASOK nos anos anteriores, assim como as do governo SYRIZA-ANEL hoje, a favor do envolvimento da Grécia em intervenções e guerras imperialistas, colocaram e continuam a colocar nosso país, nosso povo em grandes riscos e perigos. 

A palavra de ordem "Nem terra nem água para os assassinos do povo" tem sido manifestado historicamente pelo nosso povo. Ele bradou isso durante a guerra desencadeada pelos EUA, NATO e UE contra a Jugoslávia em 1999 e nas guerras posteriores no Afeganistão, Iraque, Síria e Líbia. Nosso povo gritou-a em manifestações por todo o país, denunciando as decisões do governo a favor da participação de forças militares gregas em exercícios da NATO, a cedência da base de Suda e de outras bases militares e centros de comando para os planos imperialistas mais gerais. 

Nestes dias, o povo trabalhador, a juventude, com manifestações de massa em Hania, exigiu o encerramento da base EUA-NATO em Suda, ao passo que em Alexandroupoli e outras cidades na Trácia exigiram que nenhum território grego fosse usado para o trânsito de forças militares estrangeiras que participam no exercício "Noble Jump" da NATO na Roménia. 

Segundo informações publicadas, 4000 oficiais militares da Albânia, Bulgária, Grã-Bretanha, EUA, Espanha, Letónia, Roménia, Noruega, Holanda e Polónia participarão no exercício da NATO na Roménia. A Grécia participa no exercício providenciado apoio como "Nação Hospedeira", durante o trânsito de unidades militares britânicas, espanholas e albanesas através do Norte da Grécia pela via do eixo Alexandroupoli-Ormenio e Krystallopigi-Promachonas. 

Segundo declarações oficiais, o governo grego está comprometido a "providenciar facilitação no aeroporto e no porto marítimo de Alexandroupoli durante o posicionamento e reposicionamento de pessoal e veículos. Acomodação para pessoal. Serviços para sua escolta e segurança durante a recepção, trânsito e despedida do país. Operação e equipe de pessoal do centro de coordenação local em Alexandroupoli. Facilitação para logística e serviços de tratamento médico. Acesso a comunicações terrestres e por satélite". 

É um facto que este exercício da NATO também prepara o terreno para novas guerras e intervenções, para a formação de uma força militar inter-estatal capaz de ser utilizada contra os povos, sempre que requerido. 

O governo SYRIZA-ANEL, seguindo o caminho dos governos anteriores e em nome da chamada doutrina geoestratégica reforçada, arca com sérias responsabilidades porque proporciona território grego, as bases militares do nosso país e assistência multifacética ao aparelho assassino da NATO. 

Dentro destas circunstâncias, as posições e a luta do KKE e do movimento dos trabalhadores adquire significado especial: "Nem terra nem água para os assassinos do povo", desvinculação imediata do país de intervenções e guerras imperialistas, encerramento da base de Suda e de outras bases e centros de comando dos EUA-NATO, retorno das forças militares gregas das missões no exterior, a completa desvinculação do nosso país da NATO e de outras organizações imperialistas. 

Pergunta-se aos ministros qual é a posição do governo quanto à exigência do povo para que o país não seja envolvido nos planos imperialistas e para que o território grego, acampamentos e secções das Forças Armadas Gregas não sejam utilizadas no exercício "Noble Jump" da NATO nem em outros exercícios militares semelhantes? 

Qual é a posição do governo quanto à exigência popular da não renovação do acordo com os EUA respeitante à base de Suda, o encerramento desta base e de outras bases EUA-NATO que são dirigidas contra o nosso povo e outros povos?" 

06/Junho/2017